Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

05/01/2015

Resenha - Helter Skelter - Mangá


Nome: Helter Skelter
Nomes alternativos: Helter Skelter: Fashion Unfriendly
Nome em japonês:  ヘルタースケルター

Informações:
Tipo: Mangá
Volumes: 1
Capítulos: 9
Publicação: Julho, 1995 - Agosto, 1996
Gênero: Horror, Drama, Psicológico, Josei
Autora: Okazaki, Kyoko
Serialização: Feel Young

Sinopse: Se você acompanha a moda no Japão, já deve ter visto o rosto de Liliko. Nos últimos anos, ela tem estado no topo do mundo da moda, promovendo as maiores marcas. Mas, como todos sabem, este mundo é uma batalha constante e interminável. Há sempre modelos novas e mais jovens a cada temporada. E manter sua posição significa aprender a adaptar-se e a lidar com a mudança. Após passar por inúmeras cirurgias plásticas, Liliko consegue se transformar em uma absoluta manifestação de beleza. Contudo, incapaz de suportar os efeitos colaterais de tantas cirurgias, seu corpo logo começa a desmoronar, e junto com ele, sua sanidade mental.


Comprei esse volume lindo no Book Depository, pagando $17,75 dólares, o que me custou R$46,80 reais (muito, muito caro). Pensei bastante antes de comprar, pois pagar quase R$50,00 em um único volume de mangá é meio complicado... Mas como a previsão é o dólar aumentar ainda mais, resolvi garantir e comprar de uma vez.

ATENÇÃO!
Esse mangá tem conteúdo +18, é um drama psicológico para adultos. Contém sexo, uso de drogas, violência, e outros temas intensos. Não é um mangá para crianças, é bem pesado.

Novinho! Ainda lacrado! ♥

O mangá
Publicado pela Vertical Inc., com 310 páginas, contém páginas coloridas.

Em 2004 foi homenageado no Japão com os dois principais prêmios de quadrinhos japoneses: vencedor do Japan Media Arts Award e vencedor do Osamu Tezuka Cultural Award.

A autora
Kyoko Okazaki, nascida em 13 de dezembro de 1963, é considerada por muitos como uma das mães do josei (shoujo para mulheres adultas). Famosa por seus projetos minimalistas e por sua tendência para tratar de temas controversos. Enquanto estudava na universidade, Okazaki fez sua estréia, fazendo quadrinhos para adultos direcionados principalmente para os homens. Então, ela decide se focar nas questões das mulheres jovens e contemporâneas. Okazaki usa a cultura de rua, da moda e do uso de drogas em suas histórias.


Curiosidade
Helter Skelter é uma canção dos Beatles, é também o nome de um brinquedo britânico muito popular, que consiste em um tobogã em formato de espiral. Além disso, o termo pode significar confusão, algazarra, desorganização. Já foi usado para coisas boas e para coisas ruins.


O filme
Em 2012 foi lançado um filme baseado no mangá. Foi meu primeiro contato com a obra. Assisti ao filme e gostei muito do enredo, por isso quando encontrei o mangá quis tanto comprar e paguei caro. Achei muito bem produzido e a atriz principal estava ótima! Em algumas partes o filme foi um pouco confuso, mas o mangá esclareceu tudo. Não se pode esperar que um um drama psicológico tenso como esse seja fácil de se entender hahaha Na minha opinião foi uma ótima adaptação (apesar de só encontrar criticas negativas a respeito do filme).



Liliko ou Ririko?
O nome da personagem principal é Liliko, mas no filme eles falam Ririko, e em vários lugares você verá as pessoas escrevendo o nome dela assim. É aquela velha história de que os japoneses não conseguem falar e trocam o som das letras L e R.

A história
Helter Skelter representa tantas coisas ao mesmo tempo que é um desafio tentar descrever. É a realidade, é bonito e feio, é erótico e repulsivo. O enredo desse mangá é muito mais do que a sinopse diz. Basicamente é aquilo: uma modelo que faz de tudo para manter sua fama. Mas há mais por trás disso. É uma crítica a sociedade, ao mundo da moda, das celebridades, da vaidade, da beleza. Não é um mangá bobo para qualquer um, não é "fácil" de ler e entender certas assuntos apresentados. Como disse no começo, é para maiores de 18 anos, é intenso, recomendo para quem aprecia uma leitura que faz refletir. Se você estiver procurando um mangá bonitinho sobre moda com pessoas felizes, não leia Helter Skelter.

"Uma palavra antes de nós começarmos:
uma risada e um grito são muito similares."

A história é um conto sobre a busca da beleza que conduz à ruína. Além disso, Okazaki também aborda a natureza inconstante da fama e a facilidade com que uma vida perfeita pode ser dilacerada por vícios.

Liliko não é a vilã da história, por mais que possa parecer, ela é apenas uma pessoa doente e problemática. Em algumas partes você entende ela, em algumas você se indigna, você torce, você odeia, se identifica, reconhece. Ela entra em um ciclo vicioso de auto-destruição, quanto mais cirurgias ela faz, mais seu corpo piora, precisando repetir os procedimentos constantemente. Simpatizei mais com a Liliko do filme do que com a do mangá, a atriz era realmente boa. Os personagens são seres egoístas que atuam para seu próprio interesse, são extremamente realistas. Liliko é totalmente antipática e ainda assim consegui gostar dela.

“Cosméticos são como crack. Quanto mais você usa,
mais você precisa de produtos cada vez mais fortes.
Só piora."

Helter Skelter é um mangá como poucos. É envolvente, mesmo com personagens que são difíceis de gostar e mantém o leitor de certa forma desconfortável, mas incapaz de parar a leitura. Recomendo para quem gosta de uma série adulta assumindo o lado mais obscuro da fama e da beleza.


A arte
Diferente de todos os mangás que já vi. Parece que foi feita mais rapidamente e menos trabalhada/elaborada. Intencionalmente ou não, isso ajuda a entrar no clima da história, algo mais frenético e imperfeito, muito parecido com o mundo real. As páginas coloridas no início são de uma rara beleza, mesmo sendo bastante simples. No geral, é um prazer para aqueles que gostam do estilo. A autora foi atropelada por um motorista bêbado logo após a serialização de Helter Skelter e seus ferimentos impediram a correção habitual de erros, limpeza de arte, etc, que o mangá normalmente recebe. Mesmo assim, achei fantástico.

Vale a pena ler? 
Sim, é uma ótima reflexão sobre como a sociedade lida com a beleza e até onde estamos dispostos a ir por ela. É uma história fantástica, mas se você for menor de idade ou se não gosta de conteúdos fortes, melhor não arriscar. A Liliko é legal, mas é perturbada ♥


11 comentários:

  1. Parece interessante mas e se eu ficar 'impressionada' e tiver pesadelos? o.o kkkkk Vou procurar ver o filme ><

    ResponderExcluir
  2. Parece ser legal *0* mas eu não compraria o mangá ¬¬' pois eu não sei inglês :/ mas é interessante,logo eu vou assistir esse filme :3

    ResponderExcluir
  3. Parece ser aquela típica história que reflete como é horrivel o mundo da moda e o sofrimento que modelos passam para estarem no topo.

    ResponderExcluir
  4. Que estranho, eu só vejo as pessoas elogiarem o filme kkkk bom blog.

    ResponderExcluir
  5. Paguei 15 reais na edição nacional​ haha

    ResponderExcluir
  6. Paguei 15 reais na edição nacional​ haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não trocaria minha edição importada por nada, a qualidade é maravilhosa, muitas páginas coloridas, material diferenciado... Não compro mais mangás nacionais, só decepção.

      Excluir
    2. Eu comprei a versão nacional e realmente tem muitos erros de revisão. Eu pude encontrar uns seis no mínimo e isto atrapalha um pouco, pois distrai. Mas este livro é realmente bom. Às vezes pego livros importados também, os últimos que peguei são as edições portuguesas lançadas pela Levoir: "O Diário de meu Pai" e "Terra de Sonhos" de Jiro Taniguchi, um mangaká japonês muito premiado na França. Essas edições são capa dura e muito bem diagramadas. "O Diário de Meu Pai" é um dos melhores mangás não-serializados que eu li.

      Excluir
    3. Eu já desisti de comprar mangás no Brasil...
      :'(

      Excluir