Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

08/03/2017

Resenha - Otomen - Mangá


Informações
Nome: Otomen
Volumes: 18
Capítulos: 74
Lançamento: 2006-2012
Gênero: Comédia, Romance, Escolar, Shoujo
Autor: Kanno Aya
Editora: Bessatsu Hana to Yume

Sinopse: Masamune Asuka é um rapaz que tem gostos femininos, como ler mangás shoujo, cozinhar e costurar. Por causa de traumas passados, sua mãe quer que ele seja bem viril, e o proíbe de fazer "coisas de menina". Então ele começa a aprender artes marciais e coisas atléticas. Será que ele pode lutar contra suas vontades e esconder sua verdadeira identidade?


Otomen são homens que possuem hobbies, pensamentos e habilidades femininos. São puros e românticos, gostam de cozinhar, costurar e de mangá shoujo. É um trocadilho ao juntar o termo "otome", que significa algo como garota ingênua/pura com "man", que é homem em inglês.


História

Masamune Asuka é um jovem extremamente puro e inocente. Ele é alto, bonito, rico, legal e inteligente. Quando era pequeno, seu pai saiu de casa, dizendo que sempre quis ser uma mulher. Sua mãe, traumatizada pelo abandono do marido e sabendo que Asuka também gostava de coisas fofas e femininas (assim como o pai), o faz prometer que ele seria o exemplo de homem japonês, mais másculo e viril que todos os outros. Sua mãe é uma mulher de negócios bem sucedida que viaja muito e sempre que ela não está em casa, ele aproveita todas as suas coisas fofas.


Desde então, Asuka teve que escondendo o seu verdadeiro "eu", pois temia magoar sua mãe e não ser aceito pelos amigos. Ele começou a praticar kendô, judô e outros esportes, pois pensava que isso poderia mantê-lo com uma imagem masculina perante a sociedade. Mas ele acaba se apaixonando pela estudante Miyakozuka Ryo, e com isso, sente cada vez mais vontade de fazer coisas femininas, como costurar ursinhos, fazer doces e coisas do tipo, tudo motivado pela paixão.

"Eu vou te proteger... Pelo resto da minha vida!"

O que ele não imagina é que eles se completam, pois a mãe de Ryo morreu quando ela era muito nova, então foi criada apenas pelo pai. Ele, policial e mestre de kendô, é o maior defensor da masculinidade, e a trata como um menino. Consequentemente, ela nunca aprendeu a cozinhar, costurar ou fazer coisas fofas. E a história vai acompanhar o desenvolvimento desse romance, onde o garoto gosta de "coisas de meninas" e a garota gosta de "coisas de meninos". Além do drama interno do personagem e as confusões da família e dos amigos. E que amigos hein! xD


Um deles, é o Tachibana Juta, que é secretamente um autor famoso de shoujos, ele se inspira nos amigos para escrever suas histórias em segredo. Tem o Ariake Yamato, que quer ser machão, no começo o achava um pouco irritante, mas depois ele fica hilário! Kurokawa Kitora é um fanático por flores, é um personagem super inusitado, muito difícil de encontrar alguém igual. E por último, temos Tounomine Hajime, que assim como Asuka, é um "homem perfeito", mas na verdade ele ama maquiagem! Adoro ver as interações tsunderes dele com o Asuka, é muito bom!


Eu gostaria de entrar em detalhes sobre cada um deles, pois eu realmente amei esses personagens! Mas como eu evito resenhas muito longas e já estou extrapolando nessa, vou apenas destacar o casal principal (mas que fique claro que TODOS eles são sensacionais!). O Asuka é um amorzinho de menino, sério gente, impossível não amar! Ele costura e cozinha coisas muito bonitinhas, além de se comportar de maneira extremamente adorável. E a Ryo é apaixonante também! Ela é muito foda, luta muito bem, é super simpática e é fofa da sua própria maneira. Esses dois são tão adoráveis, esse mangá transmite tanto amor, que era impossível não ter um sorriso bobo no rosto enquanto lia. Além das cenas hilárias que renderam muitas gargalhadas!


Otomen é um mangá de comédia romântica muito divertido, ele até foi adaptado para uma série de televisão e é um dos mangás do gênero shoujo mais vendidos nos Estados Unidos, onde é licenciado pela Viz Media. Similar a trabalhos anteriores da autora, a série se tornou bastante popular. Os sete volumes disponíveis no Japão até maio de 2009 venderam mais de 2.5 milhões de cópias. Foi considerado o terceiro best-seller de mangás shoujo e o décimo terceiro em uma lista geral de mangás nos Estados Unidos em 2009. No Brasil, infelizmente não fez muito sucesso, foi publicado pela editora Panini, até o volume 7, mas depois foi cancelado.

Edição japonesa
Edição brasileira

O que gostei bastante nessa história, é que ela trata dessa questão de "você é menino, não pode fazer coisas de menina", "você é mulher, tem que saber cozinhar bem", "homens não fazem isso", etc... O garoto principal gosta de coisas que são consideradas femininas, enquanto a garota principal gosta de coisas consideradas masculinas (especialmente se levar em consideração a sociedade japonesa). E todos os outros personagens tem conflitos parecidos. Acho bem legal explorar essa questão, pois eu sou a favor de todo mundo gostar do que quiser e fazer o que quiser. Não acho certo classificar as coisas como "de menina" e "de menino". Se você é homem e quer cozinhar, cozinhe! Se você é mulher e quer lutar artes marciais, lute! Siga seus gostos, suas vontades e seja feliz! Todos deviam ser livres, independente de serem homens ou mulheres.


Arte

Dá para observar a evolução da arte, ela vai melhorando a cada volume e ficando cada vez mais bonita. Nada fora do comum, é o tipo de arte que é esperada de um mangá shoujo, mas é linda, muito bem feita e cheia de detalhes. Você sente que foi bem caprichada e que se esforçaram para fazer. Os garotos eram sempre muito bonitões e as garotas tinham olhos enormes. Os cenários sempre fofos e tudo muito bonitinho. Eu amei, acho lindo, é o estilo que curto e adoro.


Vale a pena ler?

Sim, recomendo muito para fãs de romance! Se você gosta de ler histórias cheias de amor, muita diversão, comédia e momentos fofos, recomendo! A mensagem neste mangá é clara: não tenha medo de ser você mesmo, porque outras pessoas também estão lutando para ser quem elas são.

Melhor casal ♥

5 comentários:

  1. Hoje é dia 8 de março, dia das mulheres! O protagonista do mangá pode até ser homem, mas a Ryo está presente para nos representar. Sejam quem vocês quiserem ser, não liguem para coisas do tipo "se comporte como mocinha", "não pode fazer isso, é coisa de homem", "você é muito masculina, seja mais delicada"... FAÇAM O QUE VOCÊS QUISEREM! Sigam seu coração! <3

    ResponderExcluir
  2. Vendo o blog com uma amiga minha, ela amou a arte e eu também! Recomendação ótima! Quero ler e minha companheira aqui também! E ela curtiu muito sua mensagem ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se souber inglês, tem completo nesse link: http://www.mangatown.com/manga/otomen/

      Excluir
  3. Puxa vida, eu achei que o blogger tava paradão nesses tempos que eu fiquei fora, mas abro o meu feed e tem post de Otomen!! *0*
    Esse é com certeza um dos meus mangás shoujos favoritos; na época do lançamento aqui no Brasil eu comecei a comprar e acompanhei até o volume que foi cancelado. A Panini demorou ANOS pra admitir que o mangá tava cancelado aqui no país, ficou enrolando nem comentando nada mas depois largou a mão de vez. Foi uma decepção, porque é um mangá famoso lá fora e aqui no Brasil ele quase não teve divulgação, além de ser bimestral eu acho, então demora mais pro gosto do povo. Mesmo assim, na época em que a Panini largou a mão dele, eu já tava lendo bastante coisa online, mas não tinha fansub em português fazendo ele, e acabei beeeem mais tarde, lendo o restante no fansub gringo. Hoje em dia não sei se tem algum fansub brasileiro fazendo ele, mas recomendo muito! Não lembro se já fiz post dele, mas acho que sim (???) eu to ficando louca e esquecida, e senil -q

    Um dia pretendo comprar ele pela editora americana, quando der... Um sonho de consumo, na real. Não vi no post você comentando, mas Otomen ganhou uma versão em dorama lá no Japão e até que é bem engraçada também XD Na época em que eu vi o dorama não tinha lido o restante do mangá, então não sei dizer até que ponto ele segue o original; mas eu lembro que foi tão engraçado quanto no mangá, e eles realmente fizeram todas aquelas maluquices que a autora bota (tipo os concursos de maquiagem, o episódio da praia, a escola e os concursos LOUCOS DELA e a mãe do Asuka sendo louca HEOAHDAJDKDKSÇHA)

    Quando li me identifiquei bastante com a Ryo porque eu era bem tomboy na época, mas hoje em dia acabo gostando mais da história e do nonsense com romance mais do que tudo. Espero que um dia ele volte a ser concluído pela Panini, mas sei que é um sonho meio impossível ):

    Beijos, Monica!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, paradão? Faço post toda semana! :'( hahaha

      Excluir