Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

13/02/2018

Resenha - Stranger: Mukou Hadan - Anime


Informações
Nome: Stranger: Mukou Hadan
Tipo: Filme
Episódios:  1
Lançamento: 2007
Estúdio: Bones
Género: Acção, Aventura, Histórico, Samurai
Duração: 1hr. 43 min.
Classificação: +17

Sinopse: Passado no Período Sengoku no Japão, o filme segue Kotarou, um jovem rapaz que esta a ser perseguido por um grupo de espadachins de Ming Dynasty China por razões misteriosas. Felizmente o duo depara-se com Nanashi um ronin que se refugiava num pequeno templo. O mesmo relutantemente aceita o emprego que consiste em levar Kotarou ao seu destino. Assim eles entram na sua jornada que rapidamente se torna num caminho perigoso, assim que Ming Dynsty envia um espadachim perigoso atrás deles para capturar o rapaz.


História

Em Stranger: Mukou Hadan acompanham a jornada de um Samurai errante e de um jovem fugitivo.

A história começa com bastante acção e isso perdura durante o resto da obra, se são fãs deste tipo de conteúdo vão adorar, especialmente porque o combate apresentado aqui não envolve nenhum tipo de super poder, ficando apenas pelos bons e velhos combates ao estilo dos samurais. Vale salientar que a obra apresenta algumas cenas bem gráficas no que toca a violência, se são sensíveis a este tipo de coisas talvez a mesma não seja ideal para vocês.


No entanto a história não se fica só pela acção, também ela tem uma boa trama que mesmo não sendo inovadora consegue deixar-nos colados ao ecrã. O principal ponto talvez seja mesmo o relacionamento de Nanashi e Kotarou, que segue aquela fórmula onde temos um adulto e uma criança que mal se conhecem e que muitas vezes até têm um conflito e no final aprendem a gostarem um do outro, criando até um laço de família.

Ilustração de Tsunenori Saito

Pessoalmente adoro esta fórmula, e mesmo não tendo a emoção demonstrada em jogos como The Last of Us e The Walking Dead da Telltale, a verdade é que era impossível não ter um sorriso no rosto perante a interacção dos protagonistas. Outra coisa bonita na obra era o carinho que Kotarou e o seu cão Tobimaru nutriam um pelo outro, sendo o ultimo na minha opinião a grande estrela da obra.

A nível de personagens elas não diferem muito do que estamos habituados, o Nanashi é um bom samurai com alguns maneirismos que relembram o Kenshin, enquanto Kotarou mesmo tendo alguns momentos irritantes, demonstra ser um bom personagem.
No geral o meu favorito foi o antagonista, mesmo sendo um bocado cliché e previsível eu gostei bastante da sua prestação ao longo do filme.


Arte

Como havia dito ele é repleto de acção, pelo que para vingar é necessário um bom estúdio por de trás da sua produção. E felizmente Stranger ficou encarregue ao Bones um dos melhores estúdios no que toca a shonen e todas essas componentes.

As batalhas estão muitíssimo bem animadas, o que sinceramente não me espanta minimamente visto que temos animadores excelentes como o Yutaka Nakamura no staff. Quero salientar que ele foi o responsável pela batalha final, que na minha opinião foi o melhor momento em toda a obra.


Os cenários não ficando atrás são bem detalhados e conseguem representar muitíssimo bem a época em que a obra se passa.

Se vocês estudam animação ou simplesmente gostam de ver todo o processo que leva até ao produto final que vem até nos, aconselho-vos a dar uma vista de olhos no site Sakugabooru onde encontram diversos genga (key animation) e settei (desenhos usados como referencia para quem vai fazer a animação).


Músicas

A OST enquadra-se muito bem com o conteúdo mostrado, contendo algumas melodias muito bonitas.

Tsunenori Saito

Vale a pena ver?

Para quem é fã de Samurais ou acção é uma excelente obra, especialmente porque como é um filme consegue entreter-vos sem roubar muito do vosso tempo. Só não fiquem á espera de uma história muito inovadora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário