Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

02/08/2019

Resenha - Kill la Kill - Anime


Informações
Nome: Kill la Kill
Episódios: 24
Lançamento: 2013
Estúdio: Trigger
Gênero: Ação, Comédia, Super Poderes, Ecchi, Escolar
Duração: 24 min.

Sinopse: Ryuko Matoi busca vingança após a morte se seu pai, Dr. Isshin Matoi, brutalmente assassinado por alguém que usava uma lâmina em forma de tesoura. Munida da outra metade dessa arma, Ryuko chega à Acadêmia Honnouji, uma escola-fortaleza comandada pela autoritária Satsuki Kiryuuin. Nesse colégio, e também nesse mundo, roupas são tudo: beleza, estilo e poder. Os uniformes Goku que alguns alunos especiais usam concedem habilidades aumentadas aos usuários, mas ao encontrar Senketsu, um uniforme de marinheiro muito poderoso, Ryuko ganha o poder de conseguir sua vingança e acabar com o reinado de Satsuki.

Resultado de imagem para kill la kill

Alerta de SPOILER! 
Eu sempre faço minhas resenhas cheias de spoilers, então cuidado!

História

A primeira vista, Kill la Kill pode parecer um anime muito pautado no fanservice e no apelo ecchi, o que não está totalmente errado, porém eu vejo isso mais como critica aos outros animes que fazem isso, do que como um defeito do anime. Como eu falei na sinopse, Kill la Kill conta a história de Ryuuko Matoi, que busca vingança após seu pai ser morto por alguém que usava uma tesoura gigante como arma. Seu caminho leva-a até a Academia Honnouji, onde encontra Satsuki Kiryuuin. Ao chegar na Academia, armada com metade da tesoura que matou seu pai, Ryuuko se surpreende ao perceber que está num nivel bem abaixo dos usuários dos uniformes Goku.

Aqui, começamos a perceber como a roupa dita os valores e posições sociais desse mundo caótico, pois os uniformes são ranqueados de acordo com o número de estrelas. O de uma estrela, os menos poderosos, usados por capangas menos importantes; o de duas estrelas, usado pelos lideres dos clubes e o de três estrelas, usado pelos participantes do conselho estudantil, os únicos que podem conviver diretamente com Satsuki. Porém, Ryuko encontra Senketsu, um uniforme de marinheiro inteligente, que concede a ela poder para lutar contra os uniformes Goku. Para isso, Senketsu usa o sangue de Ryuuko como combustível. Mais a frente, descobrimos o segredo por trás dessas roupas. Os uniformes Goku e o Senketsu são feitos de fibras de vida, uma espécie alienígena que vive na terra há muitos anos. Inclusive Satsuki também possui uma roupa especial, o Junketsu, tão poderoso quanto Senketsu.

Resultado de imagem para kill la kill

Ao longo dos primeiros episódios, seguimos Ryuuko, acompanhada por sua melhor amiga Mako, em sua luta contra a Academia Honnouji, primeiro derrotando os lideres dos clubes e depois lutando contra os membros do conselho estudantil, além de lutar aqui e ali contra a própria Satsuki. Conhecemos também o movimento Nudist Beach, que conhecem o segredo das roupas e por isso não as usam. Após derrotar toda a Academia Honnouji, o plot twist do anime se inicia: primeiro descobrimos que toda a Academia de Satsuki era um plano para derrotar sua mãe, Ragyo Kiryuuin, obcecada pelas fibras de vida e por seu misterioso poder. Descobrimos também que que Ryuuko é filha de Ragyo, obviamente, então, irmã de Satsuki (a abertura já dava pistas sobre isso, quando os olhos das duas ficam em evidência). A assassina do Dr. Matoi é revelada como sendo Harime Nui, a grande estilista, aliada de Ragyo. Por último, a maior supresa é sobre o verdadeiro motivo do nascimento de Ryuuko. Ela foi criada a partir de experimentos, que tinham por objetivo criar um ser totalmente compatível com as fibras de vida. Saber disso leva Ryuuko à loucura, abandonando Senketsu para trás e aliando-se, momentaneamente, com a própria Ragyo. Inclusive a beijar Nui, a grande estilista, que matou seu pai.


Nesse momento de desespero, onde parecia tudo perdido, Ryuko luta novamente com sua irmã. Dessa vez, Satsuki usava Senketsu, enquanto Ryuuko, o Junketsu. No meio da batalha, Mako consegue acordar Ryuko para a realidade, trazendo-a de volta ao normal com o famigerado poder da amizade, outra critica aos shounen. Com a volta de Ryuko ao normal, todas as forças da Academia Honnouji e do Nudist Beach se unem para lutar contra Ragyo e seu plano de unir fibras de vida e humanos. Ryuuko luta contra Ragyo e consegue, devido à sua compatibilidade com as fibras de vida, ordenar que estas deixem os humanos. Terminando, com a frase de Ryuko "Roupas são roupas! Pessoas são pessoas!". Pode parecer simples, mas essa frase possui um significado importante. Muitas vezes a roupa que você veste significa a maneira como você será tratado, pois o preconceito e o consumismo ainda assolam a humanidade. Isso é algo que Kill la Kill deixa bem claro.

Resultado de imagem para ryuuko e mako

Animação

O Trigger é excelente, eu gosto muito do estilo de animação que caracteriza esse estúdio. Kill la Kill é abundante em cenas de luta, que são muito bem feitas e cheias de movimento e ação frenética. Eu gosto especialmente da animação do episódio 11, na batalha da Ryuuko contra a Nonon. As cores da batalha final também são muito boas. A experiência visual de Kill la Kill é realmente muito boa.


Músicas

Além da abertura e do encerramento, as cenas em que a Nonon aparece acompanham uma música clássica de compositores consagrados, como Beethoven e Franz Von Suppe.

Abertura 1: "Sirius" - Eir Aoi
Abertura 2: "Ambiguous" - Garnidelia

Encerramento 1: "Gomen ne, Iiko ja Irarenai" - Miku Sawai
Encerramento 2: "Shinsekai Koukyougaku" - Sayonara Ponytail


Vale a pena ver?

Se você gosta de Battle Shounen com bastante ecchi, vai adorar Kill la Kill. A história é até boa, mas eu diria que está na média, então se for muito exigente com o enredo, vai ficar um pouco desapontado. Por outro lado, os personagens são bem legais e causam uma empatia rápida. A Mako é bem engraçada e a Ryuko é uma boa protagonista Entretanto, não espere uma nova temporada, pois Kill la Kill já encerrou seu mangá há alguns anos, o que é uma pena. No geral, é um bom anime, um dos meus favoritos do Trigger.

Resultado de imagem para ryuko e mako satsuki

Pontos negativos: a história não é tão bem trabalhada quanto poderia e o apelo ecchi, mesmo sendo justificado, também é exagerado.

Pontos positivos: a animação, que é muito bem feita e os personagens, que são bem desenvolvidos. Além disso, a mensagem que o anime passa é muito pertinente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário