Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

10/10/2014

Primeiras Impressões - Kiseijuu: Sei no Kakuritsu


NomeKiseijuu: Sei no Kakuritsu
Nome alternativo: Parasyte
Nome em japonês: 寄生獣 セイの格率

Informações:
Episódios: 24
Gênero: Ação, Drama, Horror, Sci-Fi, Psicológico, Seinen
Produtores: Madhouse
Duração: 23 min.
Classificação: +17

Sinopse: A história de Parasyte, ou Kiseijuu, se passa em um mundo em que seres extraterrestres invadem a Terra. Eles se apoderam dos humanos entrando pelas cavidades corporais, com a finalidade de controlar o corpo da vítima. A história se desenvolve quando um extraterrestre chamado Migi falha em se apoderar do corpo de  Shinichi Izumi, fazendo com que os dois sejam obrigados a conviver juntos.


Essa é a primeira vez que faço uma “primeira impressão”, geralmente é a Mari quem faz, mas resolvi tentar também! Quando vi que esse anime seria lançado e li a sinopse, já sabia que ia gostar. O mangá fez MUITO sucesso e acredito que o anime também irá agradar.

O mangá foi publicado na década de 90, foi o vencedor do prêmio de melhor manga em 1996 pelo Seiun Awar e fez um grande sucesso, principalmente no exterior. Só nos Estados Unidos ele teve 3 publicações e, ainda por cima, por 3 diferentes editoras, sendo uma delas a própria Kodansha.

A invasão de parasitas na Terra é bem interessante. Cada um deles possui uma característica diferente. São todos extremamente inteligentes, superando demais os seres humanos. É bacana de ver que os próprios parasitas também lidam com conflitos e questionamentos como o amor, escolhas, força, etc. Eles assumem os corpos das pessoas e os controlam, ao mesmo tempo que se alimentam deles. Podem esperar por cenas gore, bastante sangue e até famílias sendo mutiladas.


Já curti logo nos primeiros segundos, sem censura, o anime já começa com gente morrendo. Em seguida vem uma abertura incrível! De cara já gostei muito de tudo o que estava vendo. Começa a história e os personagens vão sendo apresentados, para quem nunca leu o mangá e não sabia de nada sobre o assunto (sim, eu mesma) o desenvolvimento foi bem bacana. 


Basicamente, a história é sobre alienígenas que entram nas pessoas e dominam o corpo delas. Um deles não conseguiu cumprir a tarefa e dominou só o braço do humano. Ele até que lutou bem contra isso, mas não conseguiu se livrar do "bichinho". Nisso, Shinichi tem que conviver com o alien e “perde” o controle da sua mão direita. 


A única coisa que me incomodou no episódio, foi a cena que o cara pega no peito da guria, acho desnecessário... Eles podiam mostra o “descontrole” da mão dele de outra forma... Mas fazer o que. Relevemos.


A arte em si me agradou, como sempre temos umas pessoas lá no fundo meio deformadas, gente andando esquisito, mas isso só nas pessoas figurantes. O personagem principal é muito bem feito, com detalhes incríveis, o mesmo vale para os pais e amigos dele, estão todos bonitos e com bons movimentos. Particularmente não me importei com os “erros”, achei tudo bonito.

Diga NÃO as drogas!

O alien em si eu achei muito nojento, ele era todo mole e tinha uma voz bem irritante. O jeito como ele se movia me dava agonia, ver o braço esticando, oh no! hahaha Vamos ver se até o final me acostumo com esses movimentos gelatinosos.


A trilha sonora é MARAVILHOSA, em um único episódio já deu para perceber a magia. Espero que tudo continue bom (ou melhor) até o final. Não tirei muitos prints das partes mais sanguinárias e mais emocionantes, deixei de surpresa pra quem não viu ainda. Acredito que podemos esperar por batalhas muito bem desenvolvidas, interessantes e por momentos inesperados. Assistam!


Fiquem com essa frase e reflitam. ( ͡° ͜ʖ ͡°) 

5 comentários:

  1. gostaria de saber o nome das mus. desse anime para baixar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos uma resenha do anime com essas informações e muito mais. Só procurar ali no menu RESENHAS, na parte de ANIMES.

      Excluir
    2. parasyte assista no animefox

      Excluir
    3. parasyte assista no animefox

      Excluir
  2. Não afirmem que os parasitas são alienígenas! É parte da graça a dúvida sobre o que eles são realmente!

    ResponderExcluir