Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

05/04/2016

Resenha - Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu - Anime


Informações
Nome: Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu
Tipo: TV
Episódios: 13
Lançamento: 2016
Estúdio: Studio Deen
Gênero: Drama, Josei
Duração: 25 min.
Classificação: +13

Sinopse: A história gira em torno de um ex-prisioneiro que foi libertado por bom comportamento em meados dos anos 60. Ele retorna para a sociedade e quer começar uma nova vida como contador de histórias. Comovido pelo mestre Yakumo, em uma apresentação vista enquanto estava preso, ele pede ao mestre para aceitá-lo como aprendiz.


História

Essa sinopse só é válida para o primeiro episódio, pois a história é sobre o passado de Kikuhiko, desde a infância, seu relacionamento com o Sukeroku, os treinamentos, a vida deles com o Raguko, a guerra, seu envolvimento com a Miyokichi, suas brigas e desentendimentos, até o momento presente. É um anime com dramas reais e situações que provavelmente aconteciam naquela época no Japão. Muitas emoções com a qual nos identificamos até nos dias atuais.


Para mim esse foi, com toda a certeza do universo, o melhor anime da temporada. E arrisco dizer que, dependendo de como for o resto de 2016, ele será o melhor do ano! Fazia muito tempo que não via um anime tão bom assim. Já nas Primeiras Impressões (aproveitando, recomendo a leitura, pois lá tem várias informações, além de explicar o que é rakugo) deixei bem claro o quanto tinha curtido, e também achava que a história voltaria para o presente, mas na verdade ela se passa no passado mesmo, o anime é um grande flashback, e o primeiro episódio foi apenas a introdução de tudo. Isso me surpreendeu de forma muito positiva!


Segundo o MyAnimeList,, haverá uma segunda temporada (para nossa alegria) chamada Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu: Sukeroku Futatabi-hen. Achei excelente usar a primeira temporada para explicar o passado e nos mostrar onde tudo começou, com calma e com detalhes. Agora nessa segunda, vamos acompanhar o presente.


Deu para sentir que o que estava sendo contado é a experiência de uma vida, além de toda uma arte que é o próprio Rakugo. Algumas pessoas podem não gostar, mas o fato de terem escolhido uma profissão que está morrendo e que existe só no Japão, foi um ponto chave. A série é super sólida, com todos os episódios num nível constante. Talvez esse não seja um anime para qualquer pessoa em qualquer clima. É parado, consiste basicamente de personagens conversando e o drama é algo mais sútil. Talvez exija um pouco de paciência de algumas pessoas, mas com certeza para quem sabe apreciar esse tipo de história, é um prato cheio!

Fonte.

Eu simplesmente amava quando eles começavam a fazer Rakugo, me perdia nas histórias! Além da história se passar na época da guerra, ter gueixas (que acho muito interessantes) e todo um clima tradicional. Esse anime me envolvia de um jeito fantástico, esquecia de tudo ao meu redor. Sabe quando o anime é tão bom, mas tão bom, que ele passa em um piscar de olhos? Pois é. Acontecia isso todo episódio! E mesmo o drama dominando, haviam cenas engraçadas, românticas, bonitas, tristes... Muitas emoções! E kimonos! Muitos kimonos! ♥


Arte

A arte incorpora muito o estilo da obra original. Os personagens estão lindos, adorei o design. A animação é bem suave e muito bem feita, os cenários são gloriosos e estão em harmonia com todo o resto. Tudo se encaixa maravilhosamente. Tem todo um clima "adulto", as cores são fantásticas, a iluminação é perfeita, é bem diferente do que vemos na maioria dos animes hoje em dia. E é lindo! Não tenho do que reclamar. O estúdio está de parabéns pelo trabalho!


Músicas

A escolha das músicas e da trilha sonora também está impecável. Elas representam muito bem o clima da história e dos acontecimentos, expressam os sentimentos dos personagens e são muito bonitas. Combinam perfeitamente com a imagem e a estética da obra.

Abertura:
"Usurai Shinjuu" - Megumi Hayashibara

Encerramento:
"Kawa, Taredoki" - Kana Shibue


Vale a pena ver?

Sim, com certeza! Se estiver procurando uma experiência mais madura com animes, e não apenas colegiais ou lutas exageradas, mas algo com cultura japonesa tradicional e histórias que te emocionam, recomendo fortemente! O anime aborda um estilo de vida que muitas vezes não é explorado e nos expõe à música e ao entretenimento de uma maneira diferente da qual estamos acostumados. É lindo e uma delícia de assistir! Já quero ver de novo! ♥

5 comentários:

  1. Melhor da temporada, com certeza! Mas confesso que achei estranho no começo porque esperava que o flashback "acabasse" logo. Gostei demais da Konatsu e do Yotaro no começo, hehe, daí a curta decepção. Mas logo a história se tornou densa e me cativou, me arrebatou.

    Estou ansioso pela segunda temporada mas meus sentimentos são conflitantes. Acho que foi o Gyabbo que publicou que a história ficou tão bem fechada que a sensação é que não precisa de mais nada, está perfeito desse jeito. Mas será outra história, agora sobre o Yotaro, então veremos, né? Embora eu tenha achado o último episódio um pouco anti-climático. Não aconteceu nada, foi só pra deixar ponta aberta pra próxima temporada. E a Konatsu, que no primeiro episódio eu adorei porque ela queria fazer rakugo e depois me apaixonei por ela criança, de repente aparece grávida de um anônimo e tem um filho e WTF. Pode melhorar daí, mas estranhei bastante.

    Sem dúvida é um prato cheio para quem tem interesse em cultura japonesa e temas tradicionais japoneses, mas o drama em si é universal. Qualquer um pode assistir a história do Yakumo, Sukeroku e Miyokichi mesmo sem entender nada sobre a sociedade japonesa. Isso é um outro de um baita ponto positivo =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, a história ficou bem fechada mesmo, e o último episódio só serviu para "anunciar" a próxima temporada e nos deixar curiosos sobre essas coisas que você citou. Mas mesmo assim, não me importo, só quero que continue <3

      Excluir
  2. "A profundidade dos personagens principais me marcou, suas necessidades, paixões, vícios, inveja, vingança, arrependimentos, é impressionante como você encontra um pouco de tudo isso no decorrer desta história.

    Acho que está na hora de contar um pouco da historia de Yakumo, Konatsu e Kyoji. No meu entender é bem claro que mesmo existindo um ódio amargurado de Konatsu por Yakumo, e ele mesmo demonstrar um coração de pedra muitas vezes para com ela desde que se tornou seu guardião, no fim existe um amor de pai ali meio que indireto, um carinho como aquele quando ele cortou o cabelo dela, ou ainda escolheu acolher e respeitar a decisão dela de ter um filho sozinha (subentendi isso pois o mesmo dizendo "faça o que quiser" não pareceu bravo ou descontente, e sim o mordomo teve esse sentimento de desonra), no fundo Yakumo sabia que ela nunca poderia ser uma praticante de Rakugo, nunca poderia carregar o nome do pai, então deixou ela livre para escolher seu próprio caminho, pelo menos abstraio isto desta relação. Konatsu também apesar de sempre carregar uma amargura, ao mesmo tempo com toda essa demonstração de ódio, birra e rancor, necessita sempre descarregar sua carga emocional em Yakumo, também vi uma necessidade de atenção dele que talvez ela deseje mas não adimita. Kyoji entra nesta história no começo meio vaga, não entendemos a princípio porque Yakumo realmente o acolheu, mas ao ver a história de Shin fica bem claro a semelhança entre ambos aqui e acolá, talvez aquela necessidade que Yakumo sentia da presença de Shin no passado esteja novamente sendo preenchida através de Kyoji. Espero ver mais desta história e agora do relacionamento destes 3 personagens de um Yakumo amargurado e maduro com as feridas do passado, de Konatsu tentando se encontrar neste mundo seu lugar e encontrar sua paz, e que Kyoji trace um novo caminho para si e escreva uma nova história."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, no final eu fiquei com uma impressão muito grande que, apesar do relacionamento complicado, há algo de carinho entre o Yakumo e a Konatsu. É só que as duas personalidades deles não funcionam juntas mesmo, não tem jeito, vai ser sempre daquele jeito.

      E eles não eram assim quando ela era criança. Estavam se dando muito bem até. Claro que as circunstâncias eram muito diferentes, a começar pelo Sukeroku estar vivo. E foi exatamente isso que me frustrou no final - eu queria ter visto pelo menos um pouco dessa transição, como foi que esse relacionamento se tornou assim, como foram os primeiros dias, os primeiros anos. E infelizmente acho que a segunda temporada não vai tratar disso, se é uma história sobre o futuro do Yotaro.

      Excluir
  3. Eu apenas estou esperando ter uns dias que não irei fazer nada para poder assistir ele, já havia gostado pois tinha visto o episódio 1, agora com essa resenha já fico na expectativa de quando irá chegar esse dia de "folga" minha kkkkkk

    ResponderExcluir