Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

10/09/2018

Resenha - BanG Dream! - Anime


Informações
Nome: BanG Dream!
Tipo: TV
Episódios: 13
Lançamento: 2017
Estúdio: Xebec, Issen
Gênero: Musical
Duração: 24 min.
Classificação: 13+

Sinopse: Desde que era uma criança, Toyama Kasumi sempre procurou pela “Batida das Estrelas”, um som brilhante e excitante que ouviu enquanto olhava o céu nocturno. Logo depois de entrar no colegial, Kasumi depara-se com uma guitarra em forma de estrela na área de armazenamento de uma antiga loja de penhores. Sentindo uma emoção e excitação que nunca sentiu antes, Kasumi junta-se a outras quatro jovens e embarca numa jornada para procurar um lugar brilhante.

Historia

BanG Dream é a mais recente aposta da Bushiroad, que para quem não sabe é igualmente responsável por Love Live. Esta franquia é composta por cinco bandas e já se encontra com diversos mangás, um jogo de telemóvel e o anime desta resenha.

Nesta animação, a história foca-se na banda Poppin’ Part,  mostrando como ela foi formada e todas as peripécias que os membros integrantes da banda passaram  até se unirem nesta aventura musical.

A trama é bem genérica, relembrando diversos dilemas já abordados em outras obras do género como The Idolmaster ou Love Live, mas a meu ver esses detalhes tornam-se um pouco irrelevantes, pois o que realmente cativa é sem duvida as jovens que compõem Poppin’ Party.


Kasumi é uma verdadeira força da natureza, contendo um espirito infantil capaz de nos deixar a sorrir facilmente, Arisa é uma tsundere e apesar de ter alguns momentos irritantes, ao fim ao cabo é um amor de pessoa, Rimi é a reencarnação da fofura, Saya uma verdadeira filha exemplar e O-Tae… bem O-Tae é a O-Tae, o que por si só já é bem engraçado.

Todas elas são divertidas e excelentes pessoas e quando se juntam é a melhor mistura possível, tendo uma excelente dinâmica e uma boa harmonia no requisito musical. Por falar em música, as canções das mesmas são revigorantes e gostosas de ouvir, tornando-se ainda mais especiais quando se descobre que as próprias Seyuus não só cantam como realmente tocam os seus respectivos instrumentos.

A obra não é nenhuma revolução dentre o seu género, mas mesmo assim consegue deixar-nos a sorrir e a torcer pelas jovens, mesmo que saibamos que o poder da amizade sempre vence no final.

Arte

Se já jogavam o jogo, ver o design mais robusto do mesmo num estado bem mais simplista no anime vai ser como um balde de água fria, especialmente quando analisamos a restante animação,a mesma é bem mediana, tendo uma fraca consistência a nível do design e uma pobre demonstração dos diversos momentos musicais do anime, acredito que poderiam ter sido usados alguns ângulos mais dinâmicos para dar mais vida ás performances.

Eu sei que é uma comparação injusta, mas uma pessoa estava habituada á arte do jogo. '_'
Jogo

O jogo mobile de BanG Dream para quem desconhece é um jogo de ritmo muito semelhante ao de Love Live, no entanto eu acho este um pouco mais complexo. Se prestarem atenção aos jogos mais rendem do género musical verão que ele se mantem sempre entre os primeiros.

Ao contraio do anime, nele são relatadas historias de todas as bandas pelo que se não se identificam muito com Poppin’ Party a probabilidade de apreciarem mais as outras é grande, visto que todas apresentam estilos e personalidades distintas.

Gostaria de salientar que antes de ver o anime, Poppin’ Party era uma banda que não me dizia muito, ficando na sombra de outras bandas como Hello Happy World ou Roselia, mas depois de o ver admito que elas conseguiram destacar-se mais e finalmente ganhar um cantinho especial no meu coração.

Façam um favor a vocês mesmos e joguem BanG Dream pq tem a melhor Waifu!
Músicas

As músicas de abertura e encerramento são muito, mesmo muito boas e não ficarão despercebidas aos fãs do jogo.

Abertura:
"Tokimeki Experience!" - Poppin'Party

Encerramento:

"Don't be afraid" - Glitter Green
"Kirakira Da Toka Yume Da Toka: Sing Girls" - Poppin'Party 

Vale a pena ver?


Como uma fã extremamente viciada na franquia eu diria, SIM! DEFINITIVAMENTE SIM! No entanto a verdade é que o anime tem os seus problemas e está longe de ser uma obra grandiosa, pelo que a vossa apreciação pelo mesmo vai depender muito do quão se interessam por obras do género e a vossa afeição pelas protagonistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário