Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

18/01/2019

Resenha - 6000 Rokusen - Mangá


Informações
Nome: 6000 Rokusen
Volumes: 4
Capítulos: 22
Lançamento: 30 de setembro de 2010
Gênero: Horror, Mistério, Seinen, Psicológico e Sobrenatural
Autor: Koike Nokuto
Editora: Comic Birz

Sinopse: Uma enorme instalação submersa a 6000 metros de profundidade no oceano, abandonada por 3 anos após um trágico acidente que matou todos os trabalhadores presentes. Agora que uma companhia chinesa obtém o controle sob a instalação, ela é reaberta. Kadokura Kengo e seu colega Danzaki são enviados junto ao time de reabertura, mas de imediato, Danzaki sofre um grave "acidente". Kengo fica sozinho com colegas em que não confia em um ambiente subaquático misterioso pode apresentar muito mais do que aparenta.


História

O desenrolar dos acontecimento é algo que sinceramente me atraiu, inicialmente se assemelha a qualquer Seinen que você já tenha consumido, porém nos joga um pequeno fragmento do que aconteceu para o fechamento da instalação, vemos nas primeiras paginas uma equipe de inspeção andando e analisando o interior do local, um clima pesado, uma estranha sujeira escura e densa espalhada por onde olhamos. Claramente aquilo é o que restou dos trabalhadores.

Wein Chan Guo, atualmente o chefe da construtora naval Shangai Kyosei. Quando ele surge diante nosso protagonista com um sorriso sútil, um corpo esguio e feições claramente duvidosas, Kadokura Kengo sente-se retraído, as informações que são jogadas para ele parecem censuradas, pela metade. A situação interna complica para sua mente quando Danzaki, o único que ele conhecia passa ensaguentado sobre uma maca pelo corredor. Wein simplesmente o ignora, como se fosse rotineiro algo daquele gênero por ali. 

Rapidamente Kengo e Wein acompanhados de uma pequena equipe adentram numa especie de elevador, enclausurados naquele espaço temos o primeiro gostinho do mistério por trás de tudo, durante um lapso psicológico Kadokura tem uma visão:


Arte

Como podem ter notado neste recorte acima, nota-se que os traços são pesados, sombras e linhas firmes como se todo o ambiente estivesse sendo engolido por uma força invisível, e isso tem sim uma explicação. Bom, eu acredito que ele optou por tal estilo seguindo o fato da história se passar no oceano, 6000 metros de profundidade, onde a pressão é tamanha que seus órgãos simplesmente se tornariam uma sopa nada saborosa.  

Voltando a arte, eu particularmente achei interessante e enriquece o clima. Em alguns momentos parece que houve preguiça de finalizar os traços, mas observando com mais calma é totalmente proposital. Outra coisa que se percebe são as expressões de pânico, uma ausência de vida nos olhos de Kadokura é evidente, como se estar naquele lugar fosse a pior escolha de sua vida.


Vale a pena ler?

Certamente, diferente das obras atuais de mistério que envolvem o psicológico tanto do leitor quanto dos personagens, que estão sempre caindo naquele velho padrão. Uma mistura doentia, claustrofóbica com pinceladas de um gore obscuro e viscoso, trabalhando conceitos como confiança, medos, sobrenatural e isolamento nestas páginas. Você não exigirá muito tempo para concluir por ter apenas 4 volumes, isto é algo bom, visto que tramas que tem como base o suspense acabam perdendo a empolgação quando se prolongam muito, existem exceções, mas acredito que será uma nova experiência para os leitores.

Houve até mesmo um vazamento sobre um filme live-action deste mangá, um projeto da All Nippon Entertainment Works (ANEW) com um produtor de Hollywood Mike Medavoy (Cisne negro, Ilha do medo). Porém, desde 2015 até agora nada mais foi anunciado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário