Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

24/04/2019

Resenha - She-ra - Outros


Informações
Nome: She-ra e as Princesas do Poder
Episódios: 9
Lançamento: 2018
Estúdio: DreamWorks
Gênero: Ação, Aventura, Fantasia, Sci-Fi
Duração: 24 min.

Sinopse: She-ra, Princesa do Poder, lidera uma rebelião libertar a sua terra Etheria dos monstros invasores da Horda.


Historia

She-ra e as Princesas do Poder, conta a história de Adora uma jovem que consegue se tornar numa princesa de 2 metros e que em conjunto com os seus amigos lidera uma rebelião para libertar o mundo do mal. Este desenho animado tem vindo a ganhar uma enorme fanbase, especialmente no Tumblr e é fácil perceber o porquê.

Para começar o universo da obra é muito rico, enquanto que o lado dos maus é cinzento e industrial, o espaço que os nossos heróis ocupam é extremamente colorido e cheio de diversidade. Existem todo o tipo de pessoas e princesas, assim como paisagens e cidades com características especiais que tornam a imersão na historia mais cativante.


Felizmente para combinar com este ambiente fabuloso somos igualmente cativados por personagens super divertidos como a protagonista Adora, que viveu no lado errado da historia mas que conforme conhece Glimmer e Bow, apercebe-se que a sua vida é uma mentira e que deve lutar pelo bem.

Adora foi uma personagem que gostei imenso, apesar de ter as típicas características altruístas de um herói, ela também consegue ser rebelde e não tem medo de quebrar algumas regras caso isso resulte no comprimento do seu plano. A sua amiga Glimmer também partilha um pouco do mesmo espírito, mas com uma personalidade mais caricata que é capaz de irritar alguns espectadores inicialmente.

Por sua vez, Bow é um rapaz super simpático e pronto a ajudar as suas companheiras, servindo muitas vezes como mediador no meio de tantos seres com personalidades fortes.

Mas se personagens como o nosso trio principal e Entrapta o ser mais fofo alguma vez criado as diversas princesas conseguiram captar a minha atenção, Catra, a antagonista, deixou-me vidrada no ecrã.


Esta jovem metade gato, metade humana é a portadora duma das narrativas mais complexas que a obra tem para entregar, desde o momento em que entra em cena somos apresentados a sua rebeldia e habilidades matreiras, mas só depois de ela se separar de Adora é que finalmente vemos o potencial da mesma.

No lado do mal observamos como a traição da sua melhor amiga afeta-a e impulsiona a que se esforce para subir dentro da Horda, algo que adorei pois muitas vezes estes antagonistas que não são o vilão principal estão destinados ao fracasso perante os heróis e objectivos simplesmente mal trabalhados.

Catra consegue fugir a essa norma e apresenta verdadeiras ameaças a rebelião ao mesmo tempo que vai subindo na sua organização, isto em conjunto com a carga emocional que partilha com Adora faz com que sempre fiquemos ansiosos pelo próximo confronto das duas.

No fim, She-ra é um pouco como Steven Universe, um desenho que aparenta ser mais cativante para um publico mais jovem, mas que na verdade tem diversas camadas que somente aqueles com uma certa maturidade conseguirão entender.


Animação

Eu gostei imenso da animação, as lutas não estão no nível de um Castlevania ou Boku no Hero, mas estão muito bem feitas e consistentes.

Mas onde a obra realmente brilha é no design dos personagens, se algum de vocês estiver familiarizado com a obra original de 1985 sabe que as personagens eram idênticas a excessão da roupa, nesta nova abordagem da DreamWorks todos apresentam características próprias desde diferentes por-poções do corpo, cor e estilo.

1985
2018

Músicas

A abertura é o que estamos habituados em desenhos do género, pessoalmente gostei bastante ao ponto de saber a versão portuguesa de cor.

Melhor personagem! Fight me! 

Vale a pena ver?

Se gostam de obras como Steven Universe, PreCure e Star Vs. The Forces of Evil acredito que vão encontrar aqui uma obra divertida. Para terem uma ideia eu gostei tanto, mas tanto que mal acabei de assistir fui logo rever com o meu primo pequenino.

4 comentários:

  1. Como sempre muito boa a análise, adoro os gifs que você usa para mostrar as séries. Sobre a série, sou fã da série antiga, mas para a nova geração, ficou da hora e muito bem representado a heroína. Valeu!!!

    ResponderExcluir
  2. Ainda não vi essa nova versão, e da antiga só vi episódios avulsos. Acho meio genérico a morada do vilão ser cinza e a do herói colorida, bem previsível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho que concordar é realmente bem cliché, mas honestamente não consigo imaginar um lugar colorido para os vilões especialmente depois do ultimo ep. Mas agora que falaste adoraria que eles mostrassem lugares "bonitos" com a estética dark.

      Excluir