Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

25/08/2019

Resenha - Dungeon ni Deai wo Motomeru no wa Machigatteiru Darou ka - Anime


Informações
Nome: Dungeon ni Deai wo Motomeru no wa Machigatteiru Darou ka
Episódios: 13 + 1 OVA
Lançamento: 2015
Estúdio: J.C. Staff
Gênero: Aventura, Fantasia, Ação, Romance, Ecchi, Comédia
Duração: 24 min.

Sinopse: Danmachi conta a história de Bell Cranel, um aventureiro novato e mega desajeitado, que vive e é ajudado pela deusa de sua família, uma loli fofa com traços peculiares. A trama gira em volta das aventuras de Bell para se tornar um grande aventureiro. Sua motivação é se tornar um dos melhores aventureiros, alguém que possa ser reconhecido pela garota de cabelos dourados que o salvou um dia. O anime é uma paródia dos RPGs clássicos. Existem diversas referências como o esquema de missões, coleta de itens e Rank de habilidades. No caminho de sua jornada ele conhece pessoas esquisitas como Lóki e interessantes como Hermes.


História

Dungeon ni Deai o Motomeru no wa Machigatteiru Darou ka?, também conhecida como DanMachi junto com o subtítulo Familia Myth, é uma série de light novels escrita por Fujino Ōmori com ilustrações de Suzuhito Yasuda.

Eu gostei muito do anime, mas para uma apreciação completa é preciso entender e aceitar que seu foco são os momentos slice of life acompanhados de comédia e um pouco de fanservice, ou seja, não é um anime para se levar a sério. A história sempre é movida por um clima leve e divertido que não desaparece sequer em meio às batalhas ocasionais que acontecem, mas que ficam mais frequentes do 8° episódio em diante.


A história acontece em um mundo onde os deuses decidiram viver entre os humanos apenas por diversão, mas com a condição de que seus poderes divinos seriam selados e nunca utilizados, talvez para evitar destruir o mundo, mas o motivo não é explicado em momento algum. Com a chegada dos deuses os humanos passaram a explorar um local conhecido como dungeon para matar monstros, recolher itens e subir de level ganhando pontos de experiência, se esse local já existia, ou se foi criado pelos Deuses, nunca é explicado, a dungeon simplesmente existe lá e aceitamos isso. Aliás, vale ressaltar que apesar de não parecer a história é um pouco corrida, já que precisaram adaptar 5 volumes de light novel em 13 episódios, então é comum que muitas vezes algumas coisas careçam de explicação, como a existência da dungeon que não fica muito claro de onde veio ou se foi criada por alguém, a relação entre a Lily e a família Soma, onde nunca é aprofundado o fato de serem viciados em uma espécie de vinho ou saquê que seu Deus produz.


Acompanhamos o protagonista Bell Cranel tentando realizar seu sonho de encontrar o amor na dungeon ao salvar uma garota, mas o que acontece é justamente o contrário quando Aiz Wallenstein, uma garota de olhos e cabelos dourados o salva do ataque de um Minotauro, o que deixa nosso querido albino desolado, já que seu orgulho não pode conceber a ideia de ser salvo por uma garota, logo o pequeno Bell se apaixona por ela e passa a ter o objetivo de alcançá-la em nível de força. Bell é um garoto ingênuo e extremamente gentil, sendo comum vermos pessoas o traindo e ele prontamente as perdoando sem pensar duas vezes, e essa personalidade infantil não evolui e nem se desenvolve, ele apenas fica mais forte fisicamente e psicologicamente no que diz respeito a lutar contra monstros ou pessoas mal intencionadas, mas de resto parece um bestão sem jeito. É engraçado que tenha o objetivo de conquistar uma garota salvando-a em uma dungeon, mas ao mesmo tempo não perceba ou não saiba lidar com as investidas do harém diferenciado que ele consegue sem fazer nenhum esforço, é estranho que tantas garotas gostem dele sem nenhum motivo convincente, pois tirando a Hestia que tem um apego emocional por conviver com ele, as demais caíram aqui de paraquedas por algum motivo tosco, como a sua gentileza ou sua frase padrão de que deve proteger alguém só por ser uma garota.


A inocência fora do comum do protagonista é algo muito comum em histórias que envolvam a formação de um harém, sempre tem várias beldades caindo de amores pelo rapaz pelo motivo mais ridículo possível e quase sempre ele nunca corresponde, na maioria das vezes ele sequer nota que alguém esteja gostando dele, por exemplo, em Sword Art Online a cada arco novo há pelo menos 4 garotas novas que se apaixonam pelo Kirito pelo simples fato dele respirar, basta que ele dê uma demonstração de força e certamente alguém terá sonhos eróticos com o rapaz, além disso, mesmo que ele já tenha um relacionamento muito bem encaminhado com a Asuna o autor vive colocando outras garotas em seu caminho para servir de troféu, e isso me incomoda profundamente, mas voltando para Danmachi, esse fator se diferencia um pouco pelo fato das garotas não ficarem marcando em cima do protagonista, ou pelo menos a maioria delas, pois a Hestia e a Lili grudam feito carrapato no moleque, sabemos que existe um interesse romântico, mas que nunca é trabalhado na trama, ao invés disso, o Bell fica repetindo à exaustão que seu avô lhe ensinou que alguém deve ser salvo pelo simples fato de ser uma garota, uma forma de pensar meio idiota que deveria ser mudada ou excluída da história, já que não agrega em nada.


Os personagens que mais se destacam são a deusa loli peituda que está sempre disputando a atenção do protagonista, e o protagonista gentil e carismático com um sonho estranho e incomum, mas outros personagens também recebem um pouco de destaque na reta final, como a elfa com um passado trágico, a loli Lili, o ferreiro Welf e alguns figurantes aleatórios, os demais personagens não possuem muito destaque na história, mas como aparecem poucas vezes e não fazem nada significante isso não chega a ser um problema.
O único ponto realmente negativo em Danmachi é a falta de explicação sobre o porquê da obsessão da deusa Freya pelo Bell. Deixam no ar que pode ser o fato dele ser neto de Zeus, e no filme dizem que ela veio em busca de heróis, mas nunca deixam claro a motivação dela para colocar tantos obstáculos para forçá-lo a evoluir o mais rápido possível.



Animação

A animação é muito boa para os padrões do estúdio JC Staff, possuindo um design muito consistente e nunca decaindo ao longo de seus episódios.
Quero acrescentar que apesar de faltar algumas explicações por cota do rush, em nenhum momento a história parece corrida ou confusa para quem não conhece a light novel, isso é um ponto extremamente positivo para o roteiro.

Músicas

A trilha sonora possui momentos muito assertivos e casa perfeitamente com o anime.

Abertura
Hey World - Yuka Iguchi

Encerramentos
Hey World - Yuka Iguchi
RIGHT LIGHT RISE - Kanon Wakeshima
REALIZE ~Hajimari no Toki~ - Liliruca Arde (Maaya Uchida)

Vale a pena ver?

Danmachi é um anime leve e divertido que com certeza vale a pena ver quantas vezes for necessário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário